sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Divaldo Franco



Esta semana passei algumas das melhores horas da minha vida inteira! Tive o privilégio e a honra de assistir à palestra de Divaldo Pereira Franco, reconhecido como um dos maiores oradores Espíritas da atualidade, e o maior divulgador da Doutrina Espírita pelo mundo.

Em seus oitenta e sete anos, Divaldo está longe de ser um homem velho! Com bom humor contagiante e conteúdo quase sobre-humano (como ele consegue se lembrar de tantos detalhes???), ele transmite ao mesmo tempo, segurança, sabedoria e uma calma, uma paz no olhar - que emociona até quase às lágrimas quem com ele troca mesmo que umas poucas palavras.

Há tamanha eloquência em sua fala segura e firme (e absolutamente sem erros gramaticais), que é impossível não se deixar contagiar pela energia boa que dele irradia.

A história de Divaldo é linda! Ele devotou sua vida à causa espírita e às crianças excluídas das periferias de Salvador. Fundou a instituição de caridade Mansão do Caminho, que ajuda diariamente milhares de pessoas e abriga mais de três mil, centenas delas registradas como filhos do médium.

Pois esta semana eu vi e ouvi o jovem Divaldo pregar o Evangelho de N.S.Jesus Cristo, discorrendo com a energia de um garoto sobre o Perdão. Falar que "assisti à palestra" não exprime direito o que se passou. Não exagero ao dizer que "vivi" a palestra! Eu vivenciei, senti, experimentei, me emocionei, e o mais importante: eu aprendi!
Aprendi muito. Mesmo agora, transcorridos já alguns dias, a voz de Divaldo continua ecoando dentro da minha cabeça, como se fosse a voz do próprio Carpinteiro Galileu.
Desde aquela memorável noite que sinto crescer em mim um desejo enorme de me mudar, de me melhorar, de ajudar, me doar. De seguir os passos do Cristo, fazer com que ele viva dentro de mim.
Claro, não conseguirei erguer creches, adotar filhos nem escrever livros. Sou fraco demais. Mas ainda posso me mudar e passar a dar minha contribuição, mesmo que ínfima. Posso ajudar minha esposa, educar melhor os filhos, acompanhá-los, estar com eles, brincar com eles. Posso conversar com os amigos que estão passando por fase difícil na vida, posso fazer a diferença pra alguém. Posso fazer a diferença pra mim mesmo. Posso fazer com que se cumpra a promessa que me fiz: viver no hoje - e fazer com que eu seja melhor hoje do que o pária que fui ontem, e me fazer melhor amanhã do que sou hoje. É desafio maior que correr maratona (olha eu viajando na maionese light)... Mas aquela noite, aquelas palavras ditas por um jovem de 87 anos reacenderam a chama da vontade.

Divaldo autografou um de seus livros para mim (não vou nem falar o título, porque esse é o único que não empresto, não dou, não vendo, nem nada J É meu presente! Símbolo da mudança que quero ver operada em mim ). Ao me entregar o livro assinado ele olhou direto pra mim, como se enxergasse DENTRO dos meus olhos. Sorriu ternamente e me disse: “Muita Paz!” 
Eu ainda não posso dizer que vivo em paz, mas agora eu sei qual é o caminho para a paz que eu procuro. Vou calçar meu melhor tênis e, hoje mesmo, começo esta nova corrida: a corrida para minha paz interior.
Bora correr também?!


4 comentários:

Tatiana Amaral disse...

Estou com você e com a Eneida nessa corrida!!

Kelly Primo disse...

Você já faz uma enorme diferença na vida daqueles que cruzam seu caminho, Antônio ! Que sua luz continue sobressaindo e brilhando tudo em volta !!

Eneida Freire disse...

Querido, quero que saiba (sei que sabe, porque sou transparente) e reforço aqui que admiro muitíssimo a sua garra e determinação!
Realmente você encontrou seu eixo, o fluxo natural da vida em conexão com sua essência! Como não deslanchar uma vida assim?!
Comtinuemos a nadar...!!!! :)
Espero vivenciar, assim como vivenciamos esta, mais muitas outras palestras iluminadas e iluminativas! E que saibamos colocá-las em prática!
Beijos de luz!!!

Eneida Freire disse...

Vambora, Tatiana Amaral!!!!!!